sábado, agosto 14, 2010

VONTADE

Sou hoje triste e alegre
um rio sem mar
uma lágrima seca presa no olhar
sou lembrança
uma sombra do que fui
um sonho
sem asas
nem vontade
de voar.

13 comentários:

Sonhadora disse...

Miguel
Esse poema tocou-me fundo na alma, adorei é lindo.

Beijinhos
Sonhadora

Isa GT disse...

Isto é como tudo, há o que se aprecia mais, menos ou, o mais ou menos ;)
A poesia não me diz muito, dêem-me uma boa Prosa e, aí, até sou capaz de me debulhar em lágrimas ;)

Bjos

Curiosa disse...

Querido Miguel ..
grata pela visita e pelas palavras de compreensão .. é bom saber que 'alguém' mais pensa como nós. sentimo-nos menos s´sos no planetinha ... ou verificamos que não somos somente nós a vivenciar o vazio interno, vez em quando ...

Você vivencia a vida um pouco parecido comigo.. amei esse poema que diz 'hoje estou alegre e triste' ... eu me sinto assim quase todos os dias ... alegre pela simples vida que se desenrola em nossa frente e triste pela complexa vida que se desenrola em nossa frente ...

gostei muito de como escreves e 'sobre' o que escreves ...

parafraseando Jean Anoilbe, digo
'Em algum lugar, haverá um ser humano abandonado que me impede de ser feliz ...'

(ele diz - "Em algum lugar, haverá sempre um animal abandonado que me impede de ser totalmente feliz".)

somos a espécie mais abandonada do planeta, por estarmos, justamente, abandonados pelos nossos iguais ..............

Os animais? Estariam ótimos sem a espécie humana ...

bem ... eu, geminiana, já me estendi demais ...
bom conhecê-lo ... beijos

Regina Rozenbaum disse...

Miguelito, duplo anjo, amado!
Como me escreveu... infelizmente é mais fácil falar do que fazer... Como lhe escrevo agora: isso é ser /ter um verdadeiro amante dessa VIDA!
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Suspiros disse...

Miguel,
Lindo poema!...
Deixa a vida renascer, que as asas crescerão novamente!

Há.dias.assim disse...

Há períodos na vida que nos sentimos assim, um dia o tempo, que é um santo milagreiro, faz-nos uma surpresa e as nossas asas estão prontas para voar novamente. primeiro a medo, mas depois ...

Entre Frestas.... disse...

poema lindo
levo comigo em minha alma

Kimbanda disse...

Olá Miguel,

Poucos são bafejados pelo dom de em poucas palavras transmitirem tanto.
Este poema é intenso e toca fundo.
Mas como dizes "Hoje...".
Num amanhã espero... as coisas serão diferentes.
Kandandos

Margarida Fernandes disse...

Há dias assim, Miguel.

Um abraço.

Três Tempos disse...

Talvez uma 'brisa' te dê uma ajudinha e te ajude a levantar voo...

Miguel disse...

Sonhadora, obrigado pelas palavras que tão bem me fizeram. Fico satisfeito quando as palavras conseguem chegar tão longe. Tudo de bom, amiga.

Isa GT, também eu adoro a prosa, apesar de a escrita andar um pouco rebelde por estes lados, tendo-me a experiência ensinado que quando assim não devemos forçá-la. No que toca à poesia, é diferente, a intensidade com que me toca é semelhante, mas ao contrário da prosa tem de me dizer algo, pelo que sou muito mais exigente. Felizmente tenho sido várias vezes surpreendido, agradavelmente. Obrigado pela visita. Bjs.

Curiosa, sábias palavras essas de Jean Anoilbe, que confesso, desconhecia. Obrigado pelas palavras e pela oportunidade de conhecer um espaço tão interessante como o seu. Um abraço cheio de amizade.

Regina, cada visita sua é um bálsamo, cada palavra um alento que me puxa para cima. Obrigado pela amizade.

Suspiros, há sempre um novo dia e, numa palavra que eu gosto muito de usar, de um autor brasileiro, "se ainda não deu certo é porque ainda não terminou". Bjs.

Entre Frestas, obrigado pelas palavras tão simpáticas e pela visita. Tudo de bom.

Kimbanda, o melhor da vida é que existe sempre um amanhã para quem acredita. Fico satisfeito que tenha gostado e pela visita. É sempre um prazer a sua presença neste cantinho. Um abraço.

Margarida Fernandes, todos nós temos dias assim. A diferença está naquilo que fazemos com eles, na forma como reagimos. Um abraço.

Há.dias.assim, é difícil não termos medo de perder o que nos custa tanto a ganhar ou o que nos faz acreditar que a vida vale mesmo a pena,mas isso ensina-nos também a não dar nada como certo, a conquistar todos os dias, a viver como se cada dia fosse o primeiro... ou o último.

Três Tempos, as velas estão sempre içadas à espera de uma brisa mais favorável que teima em não aparecer. Mais um bocado e começo eu a soprar.

gloria leite disse...

Faboloso.
As palavras transmitem o pensamento, mas saber encontrar as palavras certa para o expressar é arte.
Não conhecia o blog, adorei e seguirei.
As interrupções não penalizam, criam ansiedade pelo que vem...
Eu o os outros esperam.
Parabens.
Abraços MG

Miguel disse...

Glória Leite, obrigado pela visita e pelas palavras. Será sempre bem vinda.