sexta-feira, junho 03, 2016

FEIOS, PORCOS E MAUS... E AINDA POR CIMA DESDENTADOS (ou uma viagem do Portugal profundo ao Brasil dos morrtos e favelas, passando pela lua até à India)

Num comentário ao que de mais relevante me marcou esta semana começo pelas mais de três dezenas de selvagens que violaram uma jovem de 16 anos no Brasil e não satisfeitos, ainda publicaram o vídeo da sua façanha (?) nas redes sociais. Já as habituais vozes se levantaram a dizer que foi consensual, que a rapariga agira ou vestia de forma a instigar tal comportamento repugnante e ultrajante, mas que não é mais do que um daqueles crimes sem perdão para os quais qualquer castigo por mais doloroso será sempre pouco. Afinal que mundo é este que trata as mulheres como objectos sexuais, como se fossem seres de segunda e não merecedores dos mesmos direitos e respeito que os homens? Evoluímos, dizem alguns, deixámo-nos dos preconceitos e falsos moralismos do passado, inventámos a roda e a matemática, aprendemos a diferença entre o certo e o errado, fomos à lua. Então o que motiva comportamentos como estes? Não somos selvagens só porque nunca vimos o mar ou sentimos a neve no rosto ou por sermos desdentados. Não somos melhores ou piores por termos educação, mais ou menos dinheiro, por sermos brancos ou negros, homens ou mulheres. Natureza humana? A verdade é que à primeira tentação damos primazia aos nossos instintos mais básicos e selvagens como se ainda vivessemos em cavernas fazendo fogo com dois pedaços de madeira. Deve a mulher em alternativa deixar de se cuidar, tapar-se até ao pescoço, esconder as formas porque de outra forma estará a incentivar a violação? Mas o piropo é que é crime. Envergonhem-se os senhores da justiça e do progresso! Não pode uma mulher entrar num autocarro repleto de homens sem correr o risco de ser violada ou assassinada? Homem que é Homem não se deixa guiar pelo instinto, não bate na mulher, não impoe a sua vontade contra a vontade alheia, não viola, não se escuda em acções injustificadamente incontroláveis para satisfazer desejos egoístas. Que sociedade é esta sem moral, tão depravada, conspurcada por um desejo insaciável de ambição, de corrupção, de direitos isentos de deveres, de uma sede egoísta de poder que não vê limites e que continua a passear-se incólume e sem remorsos sobre um mar imenso de crimes hedíondos e pecados atrozes, enquanto as beatas criticam decotes junto ao altar.

terça-feira, março 15, 2016

UMA TORRE SUECA EM PARIS


 Zlatan Ibrahimovic não é apenas um jogador de futebol. Não tanto amado mas admirado por muitos e odiado por outros tantos, o sueco é uma das personalidades mais egocêntricas do mundo do desporto e não só. Mas são as suas qualidades técnicas, enormíssimas como o seu ego que dão realce às suas palavras, exageradas ou não, mas que não poem em causa um craque a que apenas o duelo duradoiro Messi-Ronaldo tem ofuscado injustamente o brilho enorme deste jogador de 34 anos. Ibra ainda não recebeu uma Bola de Ouro, mas isso pouco importa, pois o seu talento ficará na história do futebol para a imortalidade, diga ele o que disser. O PSG acabou de ganhar mais um título, mas isso é irrelevante de tão normal, como os quatro golos marcados, quando comparados com a resposta à pergunta se continuará em Paris na próxima temporada. "Se substituírem a Torre Eiffel por uma estátua minha fico no Paris Saint-Germain", respondeu.

 Não é a primeira vez que Zlatan dá largas ao seu ego do tamanho do mundo - o que em Ronaldo muitos descrevem como realismo no sueco é uma afronta. O patriotismo muitas vezes tem destas coisas e o coração prevalece tantas vezes sobre a razão. Para mim são três jogadores (sueco, português e argentino) são jogadores ímpares. Mas ficam outras outras palavras de Ibrahimovic para a história:

"Wenger pediu-me para que passasse por um período de testes no Arsenal, aos 17 anos. Recusei. Zlatan não precisa de testes" (sobre a transferência falhada para o Arsenal).

"Não preciso da Bola de Ouro para saber que sou o melhor. Isso importa mais para alguns jogadores" (Sobre nunca ter ganho a Bola de Ouro).

"Não havia lugar para uma personalidade como a minha no pequeno mundo de Pep Guardiola" (sobre a sua relação conturbada com Guardiola).

"Um Zlatan lesionado é algo muito sério para qualquer equipa".

"Uma coisa é certa: O Mundial de futebol sem mim não merece ser vista. Então nem vale a pena ficar à espera [da Copa do Mundo 2014]" (sobre o falhanço da Suécia em apurar-se para o Mundial2014).

"Ibrahimovic, qual é o presente ideal de aniversário para a sua mulher? Nada, ela já tem Zlatan" (sobre o Dia dos Namorados).

"Quem vai ganhar o jogo: Suécia ou Portugal? Só Deus sabe. É difícil perguntar a ele? Porquê? Saiba que está o olhar para ele agora (conferência de imprensa antes do empate com Portugal, no play-off de acesso ao Mundial2014).

"Gay? Venha até a minha casa e vai ver se sou gay. E traga a sua irmã também" (questionado sobre um abraço mais ternurento a Piqué, no Barcelona).

"Se Rooney ainda quiser sair [do Manchester United], peço-lhe para vir [para o PSG]. Terá que se acostumar com o facto de Zlatan marcar mais golos do que ele".

"Marco muitos golos difíceis de reproduzir. Estes são os tipos de golos que elevam os espíritos das pessoas (aquando da sua passagem pelo AC Milan).

"França é um país de m..."

"Coloquei a Suécia no mapa do futebol mundial e agora fazer o mesmo com a França" (Quando chegou ao PSG).

"E então Guardiola começou a filosofar mas eu nem sequer estava a ouvir. Porquê tinha de ouvir? Era qualquer coisa sobre sangue, suor e lágrimas" (aquando da sua passagem pelo Barcelona).

"Não acho que se possa marcar golos tão espetaculares quanto os de Zlatan em videojogos".

Entretanto, via twitter, a Torre Eiffel "respondeu":  "Gosto muito do teu sentido de humor Ibrahimovic. A vista de Paris é muito bonita daqui... mas a torre sou eu.