quinta-feira, abril 27, 2006

BANDEIRA

EVASÕES (Cindy Crawford)

AS PALAVRAS DOS OUTROS

AMAR
Amar é como fugir à vida.
Tem-se um ou outro
dia de paz.
O resto é apenas
uma chuva de granizo
que cai e que magoa
mas logo depois passa.
por: Mónica da Luz Pereira

ECO

Visitante no meu Blog é como oásis no deserto, são miragens. Onde anda o pessoal? Receio ter errado em algo na forma de procurar cativar a vossa atenção. Há dias em que chego a ouvir o eco daquilo que escrevo. Apareçam, nem que seja para mostrar que passaram por aqui.

SEM COMENTÁRIOS!

quarta-feira, abril 26, 2006

AMIGOS

Tenho andado triste nos últimos dias, eu, que só por si já tenho tendência para ir-me abaixo com facilidade. Apetecia-me que a vida fosse como um interruptor, que pudessemos desligá-la sempre que isso nos conviesse. Só que o senso comum diz-me que devo manter-me sóbrio, distante, de modo a que os outros não colidam entre si, provocando faíscas cujas chamas seriam difíceis de apagar. Devo ser subserviente e dar a outra face, porque a razão assim o diz, porque não quero ver os outros magoados. Os outros... Ontem desabafei com uma amiga, das poucas que se preocupa, que procura saber... deu-me apoio, deu-me forças, comungou das minhas ideias, porque não sou só eu que tenho problemas. Concordámos: que bom seria se pudessemos agir irracionalmente, sermos mais emotivos e menos frios, pensarmos mais em nós. A vida é tão curta. Que bom seria se pudessemos saír por aí, agir sem pensar, beijar porque apetece beijar, abraçar porque estamos contentes, sorrir, rir às gargalhadas sem vergonha, viver sem termos medo das consequências. Que boa seria viver como se não houvesse um amanhã.

terça-feira, abril 25, 2006

LIBERDADE É... (2)

E DEPOIS DE ABRIL?...





Foi esta a liberdade porque lutámos?

LIBERDADE É...


... poder ver e estar com aqueles que amamos e que nos amam também, sem horários nem regras, sem prisões.

25 DE ABRIL (2)

Onde estavas tu no 25 de abril de 1974?

25 DE ABRIL





segunda-feira, abril 24, 2006

BIBÓ PORTO!


O Futebol Clube do Porto sagrou-se este fim de semana como campeão nacional de futebol, época de 2005-2006, materializando, com mérito, uma supremacia nem sempre evidenciada, fruto de alguns tiros no pé, dos próprios responsáveis do clube. Realço, neste momento, mais do que qualquer jogador ou mesmo o Presidente, a figura do treinador, o quase sempre antipático holandês Co Adriaanse, de quem conheciamos apenas ter sido na época transacta afastado das competições europeias pelo Sporting de Peseiro, treinava então o Az Alkmaar. Adriaanse veio de um futebol nitídamente ofensivo em que o 4-3 ou 5-5 são mais valorizados que as vitórias por 1-0 ou os empates sem golos, que abundam no campeonato indígena. Que fez ele? Ao contrário da maioria, que procuraria adaptar-se ao estilo de jogo empastelado e cheio de rodriguinhos cá do burgo, cometeu a ousadia, quiçá insensatez, de colocar os seus jogadores a praticar um futebol vistoso e de tendências ofensivas por vezes suícidas, implementando uma defesa de 3 jogadores apenas e 2 pontas de lança. Apesar desse jogo bonito, o Porto foi prematuramente afastado da Liga dos Campeões numa das piores campanhas dos últimos anos. Voltou a fazer ouvidos de mercador aos araútos da desgraça. A equipa, embora marcásse vários golos sofria outros tantos e o 11 base não existia, enquanto os pesos-pesados do balneário e da massa associativa íam sendo afastados para fora do clube ou para o banco dos suplentes: Jorge Costa, Diego, Vitor Baía...Foi assobiado e só ele não viu os lenços brancos na derrota caseira contra o Benfica. Foi mesmo agredido por uma facção de adeptos do clube, mas insistiu. Ganhou. As vitórias nem sempre significam um grande treinador, a teimosia e a arrogância raramente são qualidades - pois não, Scolari? - Um treinador português teria sido demitido ainda antes de metade do campeonato, outro treinador qualquer - mesmo que não o Mourinho - já o teria ganho em Janeiro, tal a superioridade do plantel azul e branco. Adriaanse nunca será um grande treinador, nunca ganhou sequer a Ronald Koeman. Mas é um homem de convicções fortes, que acredita até ao fim no seu estilo de jogo. Recordam-se do último campeão a jogar no campo dos outros candidatos apenas com 3 defesas? Como adepto do futebol de ataque, do futebol puro, de espectáculo, parabéns Co e obrigado!

domingo, abril 23, 2006

PORQUE HOJE É DOMINGO...


Faltam menos de dois dias para as comemorações de mais um aniversário da Revolução dos Cravos, que teve lugar no 25 de Abril de 1974. Essa data marcou o virar de página na História de Portugal e do modo de vida de muitos portugueses. Ela representou o fim do Antigo Regime de Salazar, das perseguições políticas e da PIDE. Dizem que a partir daí houve Liberdade, para agir e para falar sem medo de represálias. Dizem que a partir daí houve Democracia, que passámos a ser nós - povo - quem elege os nossos representantes no Governo e Assembleia da Republica. Pessoalmente, chego a sentir saudades de tempos de que não me lembro, pelo abuso de liberdade, pela passividade das forças policiais e políticas, pela linguagem viperína e abusiva de muitos dos nossos jovens, pela falta de emprego, pela crise... Como já referi, o meu conhecimento sobre a data em questão é baseado nas conversas com as pessoas que viveram o 25 de Abril de 1974. Havia que mudar, penso eu, mas a revolução serviu tão só os interesses políticos daqueles que nela interviram e que saíram granjeados de heróis e salvadores da pátria, tendo o povo sido, uma vez mais usado, agora por outros protagonistas. Passados os primeiros momentos de euforia e de uma legítima esperança, não parámos de sofrer, de viver as crises e os apertos de cinto que nos são pedidos em troca de um futuro melhor. Hoje continuamos na cauda da Europa, antes andávamos "orgulhosamente sós". Terá a montanha parído um rato? O que pensa o leitor disto? Viveu a Revolução? Deixe-me conhecer a sua opinião, relatos e experiências ou somente o que ouviu dizer, porque este espaço também é seu. E já agora, tentem ser felizes!

TELÉ SANTANA


O antigo jogador e treinador brasileiro Telé Santana deixou de estar entre nós na semana que hoje finda. Internacional pelo seu país foi conquistando fama e títulos ao longo de vários anos de carreira, só interrompidos devido a um problema delicado de saúde. Aos que não o conheceram, aqui deixo duas frases da sua autoria, com imenso respeito e saudade: "Se jogador do meu time faz falta por trás, ou entra pra quebrar, o juíz nem precisa expulsar. Eu mesmo tiro de campo.", #Se for pra mandar meu time matar a jogada, dar pontapé no adversário ou ganhar com gol roubado, prefiro perder o jogo." A isto chamo eu desportivismo e carácter.

sexta-feira, abril 21, 2006

EVASÕES (ANNA OHURA)

PENSAMENTO DO DIA

"Mais importante do que estar vivo é ser humano", do filme 1984

OUTRO FILHO

O olhar quedo no vazio,
os dedos em religiosa expectativa,
a mente suspensa num tema ausente,
um AZERT presente em descanso;
amontoam-se bolas de papel
de ideias mal-concebidas
condenadas a morte prematura;
numa miscelânia organizada
de palavras soltas, bic's sem tampa
K7's sem caixa, o som hesita
no botão do pause.
Solto o pause, baixo o som,
procuro o fio à meada,
unir na folha virgem todas as pontas,
num papel A4 despido
dar vida a outro filho.
Alta vai a noite
(quem dera fosse dia)
acordar do meu passado,
inspirado... esquecer da poesia.

segunda-feira, abril 17, 2006

ADEUS DINO


A vida insiste em mostrar requintes de malvadez e crueldade que, mesmo assim não deixam de nos surpreender. Ontem de manhã faleceu Francisco Adam, jovem actor da popularíssima série televisiva Morangos com Açucar. Confesso que mal conhecia o seu trabalho ou mesmo o seu nome, desconhecendo se era um actor promissor ou apenas mais uma cara bonita para asinúmeras fãs destas "estrelas" mediáticas. Tenho a certeza porém, que 23 anos é uma idade absurda para se morrer, independentemente de se ser ou não conhecido. Para a família e amigos do Dino, personagem por que era conhecido na série, os meus profundos e sinceros sentimentos, de alguém que, repito, mal o conhecia, mas que, como a maioria desta multidão incógnita, ficou chocado e sensibilizado com mais esta tragédia. Descansa em paz, Dino!

OVOS de PÁSCOA


A Páscoa chegou ao fim. Felizmente fomos rápidos e descobrimos a origem dos ovos da Páscoa.

sexta-feira, abril 14, 2006

AINDA SOU DO TEMPO...


Recentemente começou a saír, naquelas colecções de DVDs que parecem nunca mais chegarem ao fim a série do Jackie e Jill, que acompanhou o início da infância do pessoal do meu tempo. Entretanto, a televisão do Estado foi também buscar ao baú das recordações outra série da mesma altura, Vickie o viking. Confesso que estou a fazer a colecção e que revi dois ou três episódios na TV, que tanto me encantavam quando pequeno. Todavia, a maior parte das crianças de hoje não estão receptivas a estas e outras séries como a Heidi ou o Marco. A juventude de hoje mal lê o Pato Donald, o Tio Patinhas e já não têm paciência para as colecções de cromos que tanto tempo nos ocupavam à procura dos cromos mais difíceis e em trocas com outras crianças. Os jovens de hoje mal saem à rua para jogarem à bola. Sinais dos tempos, dirão alguns, incutindo a culpa nas novas tecnologias, nos computadores e nas playstation, nos downloads fáceis e ilegais de música e filmes, nas conversas online e outras caixas de Pandora tão fáceis de aceder com os motores de busca e as palavras-chave para uma procura com uma oferta tão ampla e acessível. Culpado, volto a confessar-me, até porque essas séries de grande conteúdo humano que agora revemos com envergonhada nostalgia já não são vistas por nós com os mesmos olhos ansiosos e brilhantes de outrora. Será que também nós deixámos de ser inocentes e idealistas? Será que também nós nos deixámos enredar pela cultura da violência, do sangue e do sexo fácil? É pena, não poder voltar a ser quem era, quem um dia... quis vir a ser.

FELIZ ANIVERSÁRIO

Fez ontem 4 anos, lembras-te? Escrevi assim: "A escrita, em mim, dá-me alento, dá-me força, atenua os meus momentos de fragilidade. Fragilidade que é comum a todos nós e que pareces teimar em esconder, por vezes, por trás duma força tantas vezes real quantas aparente numa vontade indómita de antes quebrar que torcer. Não olvides, porém, que o rio por vezes corre por entre as montanhas mais agrestes, suavizando-as, harmonizando-as para porvíres mais radiosos, porque há sempre um amanhã no trilho da esperança, um amanhã onde as nuvens negras se dissipam - se assim o quisermos - numa alvorada de arco-íris." Com estas palavras entreguei-te uma prenda humilde mas muito pessoal, que espero ainda conserves com carinho. Atrasado e sem saber se vais receber a mensagem envio desta forma os meus mais sinceros parabéns e um feliz aniversário, Susana! Obrigado pela amizade.

SABEDORIA ESCOLAR

mais um conjunto de "pérolas" retiradas de provas escolares:

- Quando um animal irracional não tem água para beber, só sobrevive se for empalhado.

-As múmias tinham um profundo conhecimento da anatomia.

-Na Grécia a democracia funcionava muito bem porque os que não estavam de acordo se envenenavam.

-O objectivo da sociedade anónima é ter muitas fábricas desconhecidas.

quinta-feira, abril 13, 2006

ANJOS & DEMÓNIOS

"Após 30 anos de investigação continuo a não ter resposta para a grande questão: o que é que uma mulher quer?" - Freud

PENSAMENTO DO DIA


"que difícil que é a vida dos Homens, pensou ela. Eles não têm asas para voar por cima das coisas más." - Sophia de Mello Breyner Andersen in A Fada Oriana.

sexta-feira, abril 07, 2006

quinta-feira, abril 06, 2006

PENSAMENTO DO DIA

"Não digas mal da masturbação. É sexo com alguém que tu amas." - Woody Allen

FALA QUEM SABE


"Fumar mata. Quando se morre perde-se uma parte muito importante da vida." - Brooke Shields.

quarta-feira, abril 05, 2006

VOZ MIRAGEM

E a tua voz farol d'outras almas perdidas apagou-se
largando-me à deríva de densas trevas
afogado numa tempestade de auto-comiseração,
sufocado em vagas d'ódio e rancor, soberba,
falsos moralismos, bátegas de descrença.
Em cada rosto vejo um inimigo, uma luta sem tréguas,
um confronto descabido;
morro um pouco a cada instante,
em golfadas de um ódio sem sentido,
de amores frustrados, de expectativas goradas.
E na tua voz sereia de tantos enganos
fui só mais um, náufrago, perdido por um sorriso,
mais um alvo de chacota, apenas e só mais um
dessa turba imensa que te quer bem, que bem te quer,
um homem que por trás da farda se esconde,
as palavras víperinas carregadas de desprezo
como uma arma com balas de fel;
dispara a esmo vezes sem conta,
mata... e se não mata morre
o homem esperança quase surdo
atrás dessa voz miragem quase muda.

FALA QUEM SABE

"A grande maioria das nossas importações vem de fora do país" - George W. Bush, Presidente dos EUA.

sábado, abril 01, 2006

MILIONÁRIO SEM VINTÉM

Levantei os pés do chão, quis voar
Fiz de Deus, invoquei-te humana
Vi-me tocar-te como se deixasses
Possuír-te, no equívoco dos meus desvarios.
Senti-me saciado com tão pouco
Realizado por um mísero instante
Milionário sem um só vintém.