sexta-feira, junho 26, 2009

O HOMEM QUE NÃO QUERIA CRESCER

Michael Jackson morreu aos 50 anos, vítima de uma paragem cardíaca. Com uma carreira incaracterística, Michael transformou-se de um cantor genial, rei da pop a uma personagem aberrante e controversa, perseguido pelo medo das doenças e por acusações de abusos sexuais com menores. Como uma criança grande, um Peter Pan do universo musical, Michael, que foi casado com a filha de Elvis Presley, deu sempre a ideia de não conseguir adaptar-se a um mundo de adultos, sempre escondendo-se e protegendo-se de uma vida que não compreendia e que o amedrontava. Depois de um interregno de cerca de oito anos, um dos últimos grandes ícones da música pop, preparava-se para uma derradeira digressão mundial (ainda bem que eu não tinha comprado já o bilhete), numa tentativa de reabilitar alguma da sua fama, mas também da sua imagem de artista talentoso que era. Há hoje mais uma estrela a brilhar no céu.

2 comentários:

Pure disse...

Quem gostasse ou não, ninguém fica indiferente a esta grande perda! Era e é um mito! Para sempre. Menos uma estrela na Terra, mais uma no céu!
Bom f.d.s!!

Johanna disse...

há mulheres que também não querem crescer... crescer dói! Especialmente de determinadas manneiras como a de Michael..paz à sua alma.
Embora dúvide muito que i deuxen en Paz (mais uma "princesa Diana" para os tablóides... com muita pena minha!)