quinta-feira, agosto 14, 2008

CHINESICES



Que algo cheira mal em Pequim já não é novidade, e não se trata apenas da poluição. Tão pouco me refiro aos distúrbios diáriamente provocados por manifestantes pró-Tibete ou ainda pela restrição da internet aos jornalistas encarregues da cobertura do evento olímpico. Todo o esplendor e perfeição que se quer passar para o ocidente de um país pobre e cheio de atentados aos direitos humanos, não é mais que uma manobra de um governo comunista e ditador onde nada é o que parece ser. Assim foi, com a cerimónia de abertura dos JO. Afinal, não foi a voz da jovem e bonita Lin Miaoke, de 9 anos, que se ouviu no belíssimo Ninho de Pássaros a cantar a "Ode à Pátria". A organização presenteou os milhões de espectadores com um vulgar e pouco conseguido playback, já que a voz que nos era dada a ouvir pertencia a Yang Peiyi, de sete anos, afastada da abertura por não ser fisícamente tão perfeita.
Inicialmente, Peiyi teria a honra de pisar o estádio olímpico e de cantar ao vivo, mas tudo mudou num dos últimos ensaios, a que asssistiu um dos mais altos dirigentes do Partido Comunista Chinês. O homem não gostou da aparência de Peiyi - não tão bonita e com os dentes imperfeitos - e chamou a atenção ao director musical responsável pelo espectáculo, Chen Qigang.
"Ele disse-nos que tínhamos um problema para resolver, e nós resolvemo-lo", justificou Qigang: "Nós queríamos projectar a imagem perfeita e pensámos no que era melhor para o país. Era uma questão de interesse nacional. A criança deveria ter uma boa apresentação, ser expressiva. Lin Miaoke é excelente nestes aspectos, mas quanto à voz, a de Peiyi é perfeita. Por isso, decidimos usar o play-back". Como se não bastasse e para que não caiam os estimados visitantes deste blogue na tentação de desculpabilizar os responsáveis por esta artimanha, convém que escutem um pouco - o que os vossos ouvidos conseguirem suportar - da voz "perfeita" da jovem Peiyi, antes de tirarem conclusões precipitadas. Sinceramente, penso que a rapariga deveria estar a sofrer dos intestinos ou que, o ruído que se ouve é de algum gato que está a ser esfolado, já que estes chineses acabam de comprovar uma vez mais que gostam de nos dar gato por lebre.
Mas desengane-se quem pense que se ficaram por aqui os truques na cerimónia de abertura. Os chineses admitiram ter usado imagens pré-gravadas no fogo-de-artíficio que abriu a cerimónia, e alegamente recolhidas por um helicóptero, já que o céu encoberto nesse dia não permitiu uma boa visualização.


6 comentários:

João disse...

Viva a América e a Europa, os paraísos do respeito pelos direitos humanos. As sociedades verdadeiramente evoluídas. Países onde a beleza não conta, onde os mais feios são os que conseguem os lugares de maior destaque. Vivam os países ocidentais onde se escolhem as pessoas com pior aspecto físico para os representarem e onde a imagem não tem importância nenhuma.
Viva a Europa que enche as televisões e as apresentações públicas com crianças feias.

A hipocrisia é contagiante...

já te topei disse...

Este João deve ser chinês! Espera, já sei, é Comuna!

João disse...

Não não sou.
Sou um gajo que percebe as coisas de outra maneira e por experiência própria, não por ouvir dizer.

João disse...

... mas ó "já te topei", se eu fosse chinês ou comunista em que é que isso mudava as coisas? Era um argumento a teu favor?

pandora disse...

Com este post não quis criticar o continente asiático em geral, nem a china em particular, caro João. Aliás, sou grande apreciador de inúmeros aspectos da cultura oriental e invejo-o por ter a oportunidade de poder estar na china e poder apreciar in loco tudo aquilo que eu apenas imagino ou oiço falar. Porém, tanto na Europa, na América como na Ásia, há aspectos positivos e negativos, pessoas boas e más. Quando me referi a este caso em particular não quero dizer que o mesmo não se passe aqui em Portugal. Acontece. Mas seja aqui como aí, a situação não deixa de me revoltar, porque não é justa. Pergunte à criança que canta a versão original e ela dirá se está contente ou não. Agradeço a participação e qualquer contribuição que ache pertinente ou não sobre a sua experiência na China, como imagens de um país tão interessante ou simples comentários ou opiniões. Obrigado pela visita.

João disse...

Eu entendo. Eu acho é que não nos podemos esquecer que a cerimónia de abertura é um espectáculo. Num espectáculo há decisões em relação a todos os aspectos artísticos e estéticos que é preciso tomar. Os responsáveis pela produção do espectáculo fizeram uma opção que lhes pareceu favorecer a apresentação. Eu, pessoalmente gostei muito do resultado e acho que tomaria exactamente a mesma decisão por mais difícil que fosse.
Trabalho precisamente em produção de espectáculos e sei o quão difícil é tomar certas decisões. Muitas vezes os artistas ficam excluidos devido a alguma característica que não os favorece. O aspecto físico é muito importante em determinadas situações, noutras nem tanto...
Eu tambem sinto que é dramático alguem ser excluido pelo aspecto físico, mas é de espectáculo que estamos a falar e não de outro trabalho qualquer. Há muitos talentos enormes que não vão longe precisamente por não virem a companhados de uma boa presença... É a vida. Não é problema dos chineses.