domingo, outubro 28, 2007

PORQUE HOJE É DOMINGO!...


Hoje dei por mim a pensar nas semelhanças entre um blogue e a vida de cada um de nós. Não porque considere um blogue algo de importante, longe disso, mas não daremos por vezes mais importância à vida do que aquilo que ela merece? Eu sei que há gente que passa por inúmeras dificuldades e que até pode ver no que eu digo qualquer espécie de heresia, mas sinto que por vezes, a maior parte de nós, passa pela vida como um corredor de fundo numa pista de obstáculos. Será que a vida é mesmo assim tão complicada, tão cheia de "ses" e de "talvez" ou seremos nós que a complicamos? Nos últimos dias verifiquei aqui, que nem sempre é fácil fazermos ou dizermos aquilo que queremos, com medo das consequências. Podia ter pensado simplesmente: "que se lixem!", e pronto. Mas não. Para lá da minha janela, as pessoas correm mesmo sem terem para onde ir, gritam, perdem a paciência com futilidades, blasfemam da vida, do trabalho, dos governantes e até dos clubes rivais, como se o futebol fosse motivo para nos zangarmos e fazermos zangar os outros. Porque temos de andar sempre à procura de preocupações em vez de soluções? Poucas coisas na vida valem o preço de um sorriso de uma criança, do brilho no olhar daquele ou daquela que nos ama. Quase nada na vida se compara a um abraço apertado - e tão pouco nos abraçamos hoje em dia. É o barco já saiu, o preço do pão que aumentou e o Benfica a ganhar novamente quase a acabar o jogo... paciência. É tão mais fácil falarmos mal dos outros, mandar alguém à merda, "vai-te f...", do que dizer "Amo-te". Ninguém é feliz ou está completo se não tiver o amor de alguém. Teremos vergonha de amar? Será que temos tanta tendência para nos escondermos e protegermos da vida, que perdemos o fascínio do risco? Regresso às palavras de Álvaro Pacheco, quando diz: "ah, é preciso ter coragem para ser feliz". Será que em algum tempo da nossa infância nos perdemos desse dom tão especial que é a capacidade de sermos felizes e de fazermos os outros felizes? Será que é a vida assim tão complicada ou fomos nós, que para não nos machucarmos, a complicámos? É por isso que nunca devemos críticar os outros por serem diferentes de nós, por por errarem ou fazerem figuras tristes, na procura da felicidade. Quem nunca levou um "nao" não sabe o gosto da vitória, mesmo que tenhamos de perder para alcançá-la. Um dia o filho procurará o aconchego do pai para lhe dizer "és o melhor pai do mundo e eu gosto muito de ti", alguém vai agradecer-lhe ter perdido aquele autocarro para o ajudar, alguém vai abrir os braços e responder-lhe "sim, porque sem ti não consigo ser feliz". Eu acredito. Por isso este é o blogue de um homem que gosta de futebol, mulheres, cinema, música e escrita, não necessáriamente por esta ordem. É também o blogue de alguém que gosta essencialmente de escrever, embora ache que não tenha nada de especialmente relevante a dizer, mas a maior parte dos políticos também não tem e ninguém os consegue calar. Este é o blogue de alguém que acredita no futuro, porque de outra forma não valeria a pena acordar amanhã nem depois. Acredito que todos os sacríficios serão um dia recompensados e com um bocado de coragem terei então direito ao meu quinhão de felicidade. Um dia, alguém irá abrir os seus braços... e eu vou querer estar lá.

1 comentário:

Luz disse...

Porque não consideras o teu blog importante? A mim parece-me ser, se não fosse não o usarias para escrever o que te vai na alma, para passares o tempo, para veres o que comentam... tudo o que te faz sentir bem é importante, acho que a questão é o tipo de importância que lhe atribuis, não será tanto como a presença de alguém que ames, mas é importante, no meu ver.
Acho que de facto complicamos a vida, coisas que poderiam ser tão simples, fazemos questão de as complicar. Porque? Acho que a maioria de nós é assim, graças a Deus há por aí umas excepções, mas a maioria de nós, eu incluída, ainda não chegamos a esse maravilhoso estado de alma.
Porque não dizes o que pensas sem medo das consequências? Eu digo! Sabes porque? Porque quem me ama verdadeiramente aceita-me como sou. Se por vezes não gostar do que eu disse vai ainda assim respeitar porque gosta de mim como sou, e mudar isso, querer que eu deixasse de dizer tudo o que penso seria mudar-me e aí eu deixaria de ser quem essa pessoa ama. Não me refiro só ao marido, refiro-me a todos, à família, aos amigos e a quem lê o nosso blog.
Quem não nos aceitar como somos não nos ama verdadeiramente e aí acho que nem devemos estar a perder tempo. Quando falo em dizer tudo o que penso, não me refiro a ofender as pessoas, nada disso, apenas de expressarmos a nossa opinião e os nossos sentimentos acerca delas, elogiar quando fazem algo bom e chamar a atenção quando erram.
Com isto seleccionamos muita gente. Quem te amar respeita-te mesmo que lhe digas que não gostaste de uma atitude, ou que a namorada não é uma pessoa correcta... Este tipo de coisas com que muitos se ofendem e por vezes deixam de nos falar nunca acontecerão.
Com isto, não só estou a ser honesto com os outros mas também, e isto é muito importante mas por vezes esquecemos, estás a ser honesto contigo.
Perco com isto? Sei que sim, mas também sei que quem me rodeia me ama!
Então para quê pensares 100 vezes antes de escreveres?

Bjs

Luz