sábado, agosto 11, 2007

SAUDOSISTA


Se calhar estou a ficar velho, é o que penso para com os meus botões, quando dou por mim a não ligar tanta importância a coisas que dava anteriormente. É o caso do ciclismo, com a 69ª Volta a Portugal a disputar-se nestes dias. Dou uma breve olhadela à classificação e pronto. Os nomes de hoje pouco me dizem e a luta pela camisola amarela não tem para mim a excitação dos duelos entre Marco Chagas e o já velhote Venceslau Fernandes. Não falo de Agostinho, porque também não me acho tão velho assim. Terminou ontem o Vale do Lobo Grand Champions, em ténis, modalidade que para mim pouco interesse mantém desde a retirada de cena de John McEnroe ou Bjorn Borg. Basta dizer que as minhas referências nacionais neste desporto ainda são João Cunha e Silva e Nuno Marques. Por último, a fórmula 1, ultimamente bastante conturbada pelos arrufos entre Fernando Alonzo e Lewis Hamilton. Que saudades do professor Prost, do campeão Sena e dos inesqueciveis Nelson Piquet e Jacques Laffite. Hoje em dia, talvez devido a tanta mediatização, fabricam-se campeões quase diáriamente, como numa linha de montagem, uns iguais aos outros. Falta-lhes o carísma de quem teve de passar anos a cimentar uma carreira e uma imagem que lhes permitisse sobreviver num mundo cão, onde só os bons poderiam chegar. Hoje, em todo o lado, são comuns os ídolos de pés de barro, em que são os carros e não os homens que fazem a diferença na fórmula 1, onde o dinheiro cria da noite para o dia grandes equipas de futebol, que duram dois, três anos em glória, para depois caírem na vulgaridade, por falta de bases. João Pinto disse-o esta semana, alertando aqueles que esperam ver um Braga a lutar pelo campeonato, só por ter um plantel com tanta ou mais qualidade que os crónicos candidatos. Só que nos dias de hoje, não há tempo para esperar, face a tão grandes investimentos que se fazem e que necessitam de retorno quase imediato. Os grandes craques ganham mais actualmente com os contratos de publicidade do que o salário que os seus clubes lhes pagam. Falta hoje o exemplo que os jovens precisavam, daqueles que antigamente se divertiam com aquilo que faziam, empolgando-nos a querer um dia ser como eles.

1 comentário:

DJ RICK disse...

Nã, não estás a ficar velho nada. A velhice só chega quando levamos um encostãozito num jogo de bola e achamos que vamos morrer!!!! (risos)

A época recomeça em Setembro. Obrigado pela mensagem de parabéns. GRande abraço