terça-feira, outubro 31, 2006

HOJE JOGO EU!


Começo os meus comentários desta semana pelo jogo desta noite em Munique, entre o Bayern local e o Sporting, que terminou empatado a zero bolas, deixando os leões de Alvalade com um sabor amargo na boca, mas ainda com ténues esperanças de seguirem em frente na prova. À partida, o empate no reduto do todo poderoso colosso germânico seria sempre um resultado meritório, mas os alemães - a quem bastava um empate para a qualificação - surpreenderam pela negativa, abdicando do seu futebol arrasador e dando a inicíativa ao Sporting, partindo em perigosos contra-ataques, construíndo as melhores oportunidades de golo, em contraste com o maior domínio - consentido - dos lisboetas. Os jovens jogadores leoninos mostraram-se desinibidos e com grande ambição, faltando porém uma maior maturidade e eficácia na zona da verdade. É preciso agora ir ganhar a Milão, ou empatar e esperar que o Sporting derrote o Spartak em Alvalade e o Inter não vença em Munique. Deixem-nos sonhar! A nível local, os descontos foram determinantes para o empate cedido pelo Sporting em Aveiro e para mais uma derrota do Benfica, agora no Dragão, onde recuperou de um assustador 0-2 para sucumbir nos derradeiros instantes do jogo. Nota negativa, porém, para os três grandes cá do burgo, inconstantes nas suas exibições, com muito nervoso miúdinho e uma gritante falta de classe. Nota negativa ainda para a lesão de Andersson, que o afastará dos relvados por dois a três meses, desfalcando o FC Porto e o campeonato de um dos seus grandes intérpretes. Lá por fora tudo na mesma, com os líderes a manterém-se, com destaque para Itália e Inglaterra - Hilário defendeu uma grande penalidade -, onde Palermo com o Inter e Chelsea com o Manchester United comandam lado a lado em duelos emocionantes. Decidido parece mais uma vez o campeonato francês, onde o Lyon aumentou o avanço para o segundo lugar, beneficiando agora de 11 pontos à maior. Em relação aos jogos desta noite europeia, não deixem de ver o fantástico golo de Lampard em Barcelona - insuficiente para evitar o empate, e o monumental frango do guarda-redes do Levski frente ao Werder Bremen. Para terminar, só quero referir que o Cova da Piedade voltou a ganhar e já "morde os calcanhares" aos da frente.

1 comentário:

O LEÃO DA ESTRELA disse...

Tivesse o Sporting a experiência e a matreirice das grandes equipas e talvez hoje pudesse estar a disputar a liderança do grupo teoricamente mais difícil para as equipas portuguesas nesta edição da Liga dos Campeões. Foi a falta desses suplementos essenciais nas equipas de futebol de alta competição que impediu o Sporting de ganhar em Moscovo (onde empatou 1-1), de ganhar hoje em Munique (onde empatou 0-0) e de empatar ou ganhar ao Bayern em Alvalade (onde perdeu por 0-1). Independentemente disso, a equipa leonina está a fazer uma excelente campanha nesta Liga dos Campeões, pois já facturou quatro pontos em jogos com os gigantes Inter de Milão e Bayern, dando uma boa imagem externa do futebol português do presente e, sobretudo, do futebol português do futuro, mostrando novos valores que, no início da época, não estariam equacionados, como são os casos de Miguel Veloso e Yannick Djaló. Um Sporting que pratica um futebol positivo, um “futebol honesto”, tão honesto que revela a falta de tal “matreirice”, que as grandes equipas exploram em muitas situações de jogo, em particular nas jogadas de bola parada. Um futebol que em Munique vulgarizou o Bayern, mas a que faltou sempre uma pontinha de qualquer coisa – ora um pouco mais de força física, ora um pouco mais de velocidade sobre a bola, ora um pouco mais de discernimento, ora um pouco mais de gente na área adversária... – para fazer o golo tão desejado. Ainda assim um Sporting pouco feliz, que nos dois jogos com os alemães chutou a bola contra a barra e o poste adversários. E se esses dois pontapés tivessem resultado em golo, as contas desta Liga dos Campeões estariam agora muito favoráveis à equipa portuguesa. Mas, como diria o célebre Malcolm Allison, “em futebol, o ‘se’ é apenas uma palavra”. E não adianta exaltar vitórias morais. Adianta, isso sim, continuar a aplaudir esta equipa, que, ainda este ano, vai dar muitas alegrias a todos os sportinguistas. De resto, continua tudo em aberto nesta Liga dos Campeões.