terça-feira, janeiro 04, 2011

NEVOEIRO

Se o início de cada novo ano é um tempo afecto ao nascimento, à limpeza interior e a novas resoluções porque tinha de vir aquele nevoeiro de ontem reavivar-me sebastiânicas esperanças, lembranças de um tempo já gasto nas folhas de uma antiga agenda e em cujo regresso só eu teimo e acredito?


Desde que te foste perdi-me da minha luz-farol, que me fazia enfrentar cada tenebrosa tempestade sempre com um sorriso nos lábios e a linha de um horizonte distante como objectivo, perdi-me do porto de abrigo onde no final de cada dia soltava a minha âncora e por ti me deixava levar, só por ti, de olhos vendados, até ao fim do mundo e mais além se preciso fosse.



19 comentários:

maria moura disse...

Que lindo!!!

Sabes, gostava de voltar a sentir essas emoções, mas o meu coração secou (aparentemente) e já lá vão uns anos.

Um excelente ano para ti, cheio de encontros e desencontros e novamente encontros. Afinal não é disso que é feita a vida?

bj
maria moura

Luís Coelho disse...

Bom dia
Passei e gostei de provar os teus pensamentos.
São rios abertos descendo em cascatas de coisas que nos prendem à vida.
É sempre bom sonhar. Isso os mantém vivos com um coração aberto.
Se quiseres passar pelo lidacoelho a porta está aberta.

pink poison disse...

Que emoções fortes...
Esse coração está querido ou sofrido?
Ou sarado?

Fê-blue bird disse...

Coração partido! Nada que um dia de sol não regenere. Será ?

Bom ANO MEU AMIGO!

Mariana marciana disse...

Por vezes a neblina tem destas coisas, ao turvar o horizonte faz-nos ver coisas que já lá vão...
Não te sei dizer a diferença entre uma miragem e algo que está para lá da bruma, ao nosso alcance mas sei que quando caminhamos, perdidos ou não, geralmente chegamos a algum lado ;)
Beijinho e bom ano repleto de Sol

Rosa Carioca disse...

Li com atenção mas não vou comentar. Apenas quero reler...

Milene Lima disse...

Mas encontrarás novo motivo para se perder, se deixar ir até o fim do mundo e aonde mais preciso for...

Que lindo, Miguel!
Lindo!

Beijos.

Isa GT disse...

Faz como eu... um Panasorbe que isso passa ou, o mais provável, é não passar... mas, pelo menos, distrai... abrir a caixa....ir buscar um copo de água,...

Desculpa a brincadeira mas depois de ler deu-me uma tristeza... que a única salvação... é distrair a tristeza;)

Bjos

JPD disse...

Retribuo um Bom Ano para ti.
Gostei de ler o texto.
Um abraço, Miguel

Miguel disse...

Maria Moura, sempre a brindar este espaço com a simpatia a que já me habituei e que agradeço, da mesma forma que o faço e retribuo em relação aos votos de um excelente ano. A vida tem realmente desígnios estranhos, raramente difíceis de entender, mas convém não perder a fé em dias melhores e não fechar a porta ao coração. Tudo de bom e que o novo ano seja mais sorridente em todos os aspectos. Bjs

Miguel disse...

Luís Coelho, obrigado pelas palavras, que me avivaram memórias de tempos recentes em que a escrita era para mim uma necessidade e um prazer tão naturais como respirar. Não sei viver sem sonhar, por muito espesso que o nevoeiro por vezes se torne. Prometo retribuir a visita logo que possa.

Miguel disse...

Querida amiga Pink, se o coração fosse algo tão simples de definir, mas ele insiste em ser ao mesmo tempo uma mescla de emoções tantas vezes tão contrárias entre si, como a própria nostalgia que Victor Hugo tão bem definiu como a felicidade de estar triste. Obrigado pela visita.

Miguel disse...

Fê, não há nevoeiros que sempre durem nem o Sol deixará de aparecer para nos voltar a aquecer. Cada Inverno por mais frio e chuvoso dará lugar a novas Primaveras e Verões, como a bonança depois de cada tempestade. A vida é assim, há que encarar as dificuldades de cabeça levantada e sem perder a esperança em melhores dias.

Miguel disse...

Mariana marciana, as tuas palavras trouxeram-me à memória um provérbio antigo sobre vermos as sombras maiores do que elas realmente são. O nevoeiro, como o desconhecido cria medos que a razão raramente explica, mas quem sabe se por trás das sombras, desses caminhos desconhecidos não se encontram tesouros à espera de serem descobertos? Bjs.

Miguel disse...

Milene, suas visitas sempre deixam um rastro doce aqui neste espaço tantas vezes tão amargo. Obrigado pelas palavras. Tudo de bom.

Miguel disse...

Rosa Carioca, obrigado pela atenção. Um bom ano.

Miguel disse...

Isa GT, constrange-me a possibilidade de passar alguma tristeza com as minhas palavras, que por vezes não são mais que a necessidade de desabafar e que o gosto pela escrita por vezes consegue empolar. Avesso a essa mesma empatia negativa escondo-me agora por vezes por períodos mais prolongados, porque a partilhar que seja alegria, confiança, esperança e fé. Mas o panasorbe é uma boa sugestão, desde que não crie vício. Um bom passeio para arejar a cabeça é sempre um melhor lenitivo do que qualquer remédio. Tudo de bom, amiga.

Miguel disse...

JPD, obrigado pela visita e pelas palavras. Forte abraço.

FlorAlpina disse...

Olá Miguel,
Deixo-te um abraço de carinho, num dia de igual nevoeiro por aqui...

Bjs dos Alpes