quinta-feira, janeiro 20, 2011

CHINESICES COREANAS E PIRATAS MODERNOS

 Eu sei que a maioria dos que por aqui passam não têm a possibilidade de assistir a algumas das séries ou filmes sobre os quais posto e até aposto que para alguns, falar de Windstruck, My Sassy Girl, Shin Min Ah ou Moon Geun Young é falar chinês. Não é, mas quase! Fruto da falta de divulgação como também de algum preconceito e ideias pouco fundamentadas sobre a qualidade do que se faz na Ásia ao nível do cinema e televisão, os portugueses tendem a pensar que os filmes orientais são todos de terror ou sobre tipos que voam por cima das árvores enquanto lutam e que o único bom actor se chama Jackie Chan, mas apenas na sua versão ocidental. O resto, por ignorância, estará para a sétima arte e para os grandes blockbusters como as lojas dos 300 para as grandes superfícies comerciais e as suas lojas de marca. Pode ser que, numa manobra de sedução, agora que o investimento chinês é visto com tão bons olhos - mesmo daqueles em bico -, haja uma maior aposta na divulgação da cultura asiática. Até que esse dia chegue, nós, aqueles que por uma qualquer razão absurda e incompreensível, fãs dos doramas e dos filmes com homenzinhos amarelos - que não os Simpsons - em que os personagens se tornam quase tão difíceis de distinguir como os seus nomes de decorar, teremos de esperar sentados como Budas, que um em cada duas ou três centenas de filmes seja comercializado em Portugal ou, em contrapartida, façamos parte da estatística da pirataria audio-visual, que, ao contrário do que muitos defendem, não existe apenas porque os filmes estão demasiado caros ou pela pressa de ter em nossa posse o último Harry Potter ou outro qualquer grande êxito americano que ainda nem tenha estreado nos nossos cinemas. Mas desse assunto, da pirataria, deixo para outras núpcias, que de piratas pouco percebo e que continuo a preferir os verosímeis Stewart Granger ou Errol Flynn aos novos piratas das caraíbas.
Assim, mesmo continuando pouco conhecidos entre nós, faço referência pela qualidade - na minha modesta opinião a duas séries (doramas) a que afortunadamente tive acesso recentemente. A primeira, My Girlfriend Is A Gumiho sobre um rapaz extremamente imaturo e covarde habituado a viver às custas do tio e uma raposa de nove caudas que toma a forma humana de uma belíssima mulher e que vai virar a vida dele do avesso, tudo isso enquanto tenta que ela não lhe coma o fígado. Confesso que a história me surpreendeu, com personagens que nos cativam desde o primeiro instante, mesmo o dos vilões. 

a vitória contra o mal justifica grandes sacríficios, até morrer por quem se ama

quem não perderia os sentidos?

poderá o amor sobreviver às diferenças?

 Ainda mal refeito de uma série que deixou alguma nostalgia ao terminar, descobri-me noutro excelente drama sul-coreano de contornos psicológicos que é Cinderella's Sister, e na variedade e complexidade dos seus personagens, excelentes objectos de estudo. A história debruça-se sobre uma jovem, pouco habituada a viver em lugares certos, fruto da vida inconstante da sua mãe, se vê de repente numa nova realidade, mais estável, no seio de uma família que as acolhe. Sempre desconfiada, como um animal selvagem acossado, hesita em criar quaisquer laços com o novo lar ou com as pessoas que o integram, para evitar sofrer no caso de uma nova partida. O pior é quando vê a sua nova e demasiado carente irmã tomar a atenção e os cuidados da sua própria mãe. Muito provavelmente, a melhor série que já vi, com personagens que inequivocamente irão perdurar durante muito tempo na memória.

para sobreviver na selva da vida...
regra número 1: não ceder às emoções

7 comentários:

pinguim disse...

Mal estaríamos nós, se não fossemos procurar na net (chamam-lhe o que entenderem), determinados filmes que nunca passariam nos circuitos de distribuição em Portugal - quer de exibição, quer mesmo de DVD's, embora neste último, já se vá encontrando alguma coisa, mas a preços caros.
E restam-nos um que outro canal televisivo, de que dou o exemplo melhor: o ARTE!

Sus disse...

Ainda bem que na blogoesfera existe alguém como tu para informar os mais distraidos, ou sem tempo, como eu, desses filmes que por falta de publicidade não chegam até nós da mesma forma que os americanos.

Nem sempre comento, mas venho sempre aqui ler o que escreves.

Beijo!

Isa GT disse...

É sempre bom ver filmes de outras culturas e, geralmente, se forem bons dão-nos outras visões da vida que, muitas vezes, nem sequer tínhamos imaginado.

Já agora... aquela de não ceder às emoções é bué de difícil lol eu lá vou tentando equilibrar a coisa, mas tenho a impressão de que quando estiver quase no ponto... já não vai ser preciso ;)

Bjos

Sonhadora disse...

Meu querido Miguel

Deixaste como sempre boas dicas de filmes que não tendo tanta publicidade, podem ficar em branco.

Deixo beijinhos
Sonhadora

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
Confesso que as minhas preferências vão para os filmes e séries americanas e inglesas, confesso a minha ignorância sobre filmes de outras culturas, nomeadamente os asiáticos, mas depois de tudo o que escreveste fiquei curiosa, por isso vou pedir à minha filha que os "procure" por aqui lol. Valeu!!!

Beijinhos

Há.dias.assim disse...

No dia em que me vir livre deste doutoramento, fecho-me numa sala durante uma semana para ver filmes, mas primeiro vou correr pela praia...

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
MIGUEL

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...