domingo, dezembro 06, 2009

PLANETA 51



Mais uma tarde de domingo dedicada aos meus sobrinhos com uma visita ao cinema do Fórum Almada. O filme para hoje foi o Planeta 51 e posso dizer que, apesar do preço elevado a que os bilhetes já estão, das pipocas e das bebidas, o resultado foi uma tarde muito bem passada e divertida. Planeta 51 é um belo filme que começou a surpreender-me ainda fora da sala mágica, por dispensar os efeitos especiais da moda, o 3D. Quanto ao filme em si, é sobre um astronauta que vai parar a um planeta desconhecido e sobre toda a confusão que a situação acaba por criar, como se a Terra fosse invadida por extra-terrestres, mas sob um outro ponto de vista. Num filme que vive sobretudo de comparações entre dois planetas com mais semelhanças do que à partida poderíamos supor - a começar pelo ar respirável, semelhante ao da Terra, este Planeta 51 é sobretudo um filme que nos fala de medos a rir. É o medo da declaração amorosa, o medo do desconhecido e diferente, não só de seres de outros planetas como também ainda bem patente na discriminação pela cabeleira grande do personagem hippie. As piadas são geralmente bem conseguidas, algumas novas bem originais, outras nem tanto (a da antena provoca a maior onda de risos entre os menos jovens), mas que conseguem atingir os objectivos a que se propoem. A história é divertida, fazendo-nos pensar nas coisas sobre um outro prisma e os personagens são bastante divertidos - o verde fica sempre bem -, mesmo os estranhos mas super-engraçados cães alienígenas. Fica pois a sugestão!

4 comentários:

Sam Seaborn disse...

Acho que um destes dias vou libertar a criança que há em mim e vou ver o filme… Culpado, gosto de filmes de animação…

Miguel disse...

Felizmente os meus sobrinhos permitem-me essa deliciosa ousadia, que de outra forma não me atreveria a cometer. E que mal há em sermos crianças de vez em quando?

Sam Seaborn disse...

Absolutamente. Vejo-o como uma qualidade, não um problema…

disse...

Eu gostava de ter um tio como tu :)